Skip navigation

Monthly Archives: Outubro 2014

Mãe, vais torcer para eu ir, não vais?

988

“ Mãe, fui dispensado do emprego e só fico até ao fim do mês…”

…(Silêncio)…  e agora meu filho o que vais fazer?

“ Estou à procura de outro trabalho”.

…Deixa lá, pelo menos assim aproveitas melhor o resto do tempo que ela estiver por cá… (Aquela a que eu sem querer me refiro como tua noiva, em vez de namorada, desde que a conheceste, vá-se lá saber porquê…)

“Preciso de falar contigo porque já tenho outro emprego em vistas, já fiz até a entrevista por skype e tudo”.

…Ainda bem, a fazer o quê e onde?

 “A fazer o mesmo mas em Jacarta…”

…(Silêncio)…

“ Mãe, vais torcer para eu ir, não vais?”.

…(Silêncio)…

… Claro que vou torcer por ti, quero o melhor para ti e quero que sejas feliz onde for…

“Mãe, eu sei que queres o melhor para mim, mas vais torcer para eu ir, não vais?”

“Por favor diz-me que vais torcer para eu ir”. Sabes o que quero dizer, não sabes?

…Sei…Vou sim, não tenhas receio …

(sabes, a minha vontade de tu ficares não é mais forte do que a tua de partires, mas eu não mando no meu coração. Prometo que vou fazer um esforço para sonhar o teu sonho e fazer minha a tua vontade e te ajudar a partir…).

…mas como é que se ajuda um filho a partir?…

Há muito tempo que sei que vais partir, ainda antes de tu saberes, muito antes… como é que se sabe e não se pode fazer nada, apenas deixar a vida correr, apenas deixar o tempo passar e deixar as suas marcas, fazer as suas escolhas…

Por esta ordem de ideias sei que vais fazer de mim avó e se calhar falta menos do que pensas, e que vou ter um neto meio indonésio, meio chinês, meio português no outro lado do mundo…

Já te tinha dito que me chamavam chinesa quando eu era pequena? É porque quando me rio fico sem olhos… mas as pestanas quase perdi de tanto chorar…

“Mãe, vais torcer para eu ir, não vais?”

…Vou…

Quando se ama deixa-se partir, não é? Já deixei  partir muitas coisas por amor, e muitas por amor à minha liberdade e sanidade mental… e já dei asas e já voei e já me espatifei toda no meio do chão e já fui feliz e outras vezes não e já amei e fui amada e já me parti a chorar de tanto rir e já me parti a rir de tanto chorar…

…mas como é que se ajuda um filho a partir?…

“Mãe, vais torcer para eu ir, não vais?”

Os filhos não nos pertencem, foste todo meu durante o breve instante que habitaste o meu ser, até ao dia em que chegaste no meu aniversário…

Já te tinha dito que foste a melhor prenda de anos de sempre, não tinha?…

…depois entreguei-te ao mundo, mas segurei-te até que não pude segurar mais … mas isso não é o mundo…é ou outro lado do mundo…

E quando eras pequenino… ai se o meu filho cai, se ele se magoa, se fica doente e precisa de mim, quem o vai amar como eu…

Já te tinha dito que para mim ainda és pequenino?…

Contigo comecei a aprender o desapego porque te queria abraçar e beijar e nunca deixavas, depois foi por aí fora…isso foi apenas o começo…

Já te tinha dito que foste o meu primeiro grande amor? Depois veio o teu irmão…mas tu foste o primeiro… a primeira vez que eu descobri o que é amar fora do corpo…

Fico feliz por ti, sei que vais ser feliz e isso dá-me paz… sei que finalmente encontraste o amor ou pelo menos um amor e se fosse eu também seguia o amor até ao outro lado do mundo… até ao fim do mundo… porque quando se encontra o amor tem que se lutar por ele e é o que estás a fazer.

Talvez nunca te tenha dito por palavras mas sabes que foi o que eu te ensinei, não sabes?

Porque te mostrei que temos que lutar pelos nossos sonhos e temos que ir atrás daquilo em que acreditamos e que não podemos deixar que ninguém, mesmo ninguém, nos prenda ao chão! E são sempre aqueles que dizem que nos amam muito que mais nos querem prender, e cortar as asas…mas quem ama liberta, quem ama abre mão, quem ama apoia, quem ama ajuda a voar!

“Mãe, vais torcer para eu ir, não vais?”

Claro que sim meu filho porque te amo!

Mas meu filho…

Sim…

Promete voltar…