Skip navigation

Monthly Archives: Junho 2010

“Imagine a vida como um jogo, no qual você faz malabarismo com cinco bolas que são lançadas no ar…

Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito.

O trabalho é a única bola de borracha.
Se cair, bate no chão e salta para cima.
Mas as quatro outras são de vidro…
Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.

Entendam isso e assim conseguirão o equilíbrio na vida”.

Como?

Não diminua seu próprio valor comparando-se com outras pessoas… Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.
Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante… Só você tem condições de escolher o que é melhor para si próprio.
Dê valor e respeite as coisas mais queridas de seu coração… Apegue-se a elas como a própria vida. Sem elas a vida carece de sentido.
Não deixe que a vida lhe escorra entre os dedos por viver no passado ou no futuro… Se viver um dia de cada vez, viverá todos os dias de sua vida.
Não desista enquanto ainda é capaz de um esforço a mais… Nada termina até o momento em que se deixa de tentar.
Não tema admitir que não é perfeito… Não tema enfrentar riscos… É correndo riscos que aprendemos a ser valentes.
Não exclua o amor de sua vida dizendo que não se pode encontrá-lo…  A melhor forma de receber amor é dá-lo…  A forma mais rápida de ficar sem amor é apegar-se demasiado a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas. Corra atrás de seu amor, ainda dá tempo!
Não corra tanto pela vida a ponto de esquecer onde esteve e para onde vai…
Não tenha medo de aprender… O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.
Não use imprudentemente o tempo ou as palavras… Nenhum dos dois se pode recuperar.
A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo.

Lembre-se: Ontem é história.
Amanhã é mistério e
HOJE é uma dádiva… Por isso se chama “presente”.

Brian Dyson

Anúncios

It’s my life… It’s now or never…

Já há algum tempo que não escrevia nada no meu bloguezinho, e hoje achei que a ocasião merecia ficar registada. Começo este texto a dar os parabéns a mim mesma, até porque mereço, e a ocasião assim o exige. Ok! Fiz cinquenta anos (50 viram bem) há poucos dias, e não, não fiquei deprimida por causa disso, ao contário do que possam pensar, esqueci-me foi de assinalar aqui, até porque estive muito ocupada. O meu filhote, que agora mora no Algarve, faz anos no mesmo dia que eu e veio para almoçar comigo e com o irmão . Entre pizzas e sangria de champanhe, varreu-se-me por completo! Mas estou de parabéns por outro motivo também. Afinal sempre acabei por me inscrever na faculdade de psicologia, acabei sim senhora, já há cerca de dois meses atrás e ainda não disse quase a ninguém, nem a minha mãe nem irmãs sabem de nada. Só os meus filhotes e um ou outro amigo. Matriculei-me, comprei os “calhamaços” para estudar para o exame (a bibliografia recomendada), “marrei” durante um mês (estive concentrada no estudo), e lá fui eu no dia e hora marcado pela Universidade. Fiz a “provazita” (3 folhas duplas de testes…enormes… umas quantas perguntas, tipo, o que pensa acerca deste tema…desenvolva cerca de duas páginas e meia. Agora faça o resumo… em Inglês) Wow! O Inglês tirei de letra e até penso que contribuiu largamente para eu estar aqui no lado dos que “não estão a chorar”.

182 Candidatos para 15 lugares, e adivinhem o que aconteceu… apenas cerca de 70 tiraram positiva na prova e aqui “euzinha” fui uma delas. 42% de positivas. (até fiz as contas e tudo). Fiquei estupefacta com o índice de reprovações, quase tanto como com o facto de eu ter passado, perante semelhante cenário, embora eu tivesse uma vozinha interior a dizer-me que sim. Hehehe…

Agora falta a entrevista. Aaaaaaai! Aí é que “a porca torce o rabo”.(Apesar do meu mapa astral dizer o contrário. Sim, porque diz lá que tenho o Sol junto a Mercúrio no Meio do Céu, e eu já percebo a potes disso, hihihi, e isso quer dizer que ainda um dia vou falar em público e dar palestras). Não sei como, e muito menos acerca de quê, mas se o mapa diz, é melhor eu começar a praticar… hehehe… A primeira vez que falei em público foi já há alguns anitos, quando publiquei uns poemas meus numa colectânea de novos autores, e como sou Alda Maria, é raro, muito raro, alguém vir em primeiro lugar numa lista alfabética antes de mim. OK, aqui a Alda Maria levantou-se e foi ao palco fazer os agradecimentos da praxe …não disse uma frase completa que fizesse sentido e fiquei da cor das cadeiras do anfiteatro, que eram vermelhas. Quando já estava a retomar a cor normal escolheram um poema meu para declamar, o que me deixou super-orgulhosa, o pior foi que escolheram um com um conteúdo levemente erótico e eu voltei a mudar de cor, enfim, que mais posso dizer? Estou ffffffffffeita ao bife! De qualquer forma, se não passar com distinção a fase da entrevista , (coisa que neste momento nem ponho em causa), posso dizer que estou orgulhosa de mim na mesma, que ainda o ano passado por esta altura nem o 9º ano tinha completo, e ó pra mim agora!

 Bom, pelo sim pelo não, como sou uma “pikena” prevenida, já estou a ver os fatos, confesso que os acho um pouco… não sei, quanto a mim precisam de mais design. E quanto aos saltos dos sapatos serem rasos, como ouvi dizer, ainda vamos ver, que eu sem saltos altos ninguém me vê…mas isso são pormenores… O que é que acham deste?

Até parece que já me estou a “ber”, canudo!