Skip navigation

Fotografia de Alda Maltez

Quem foi que ousou pensar que alguma vez me conhecia?

Quem tentou decifrar metáforas que em mim continha?

Quem se atreveu a pisar o traço que risquei ao meu redor?

Quem penetrou os meus sentidos…

Quem aplacou a minha dor…

Quem por um fugaz instante eu dei um vislumbre de mim…

Perante quem por um momento de fraqueza eu cedi….

A quem eu permiti saber um pouco mais do que devia…

Por quem eu dei de mim um pouco mais do que queria…

…não pense nem por um instante conhecer-me nem se iluda…

Que de mim se inteirou eu reconheço.

Que sendo mais feliz do que pareço.

Que sinto mais profundo o que padeço.

Que tenho mais de dor do que mereço.

Que sei demais, e mais do que pareço.

Se nem eu mesma sei onde me esqueço.

Por onde já deixei o que não lembro.

Em quem eu por mérito desmereci.

Por quem eu já deixei e por quem eu já perdi.

Para quem eu nem que possa nunca mais eu quero voltar.

A quem por mais que doa nunca mais eu posso amar.

Então que esse alguém de ânimo leve não me tenha.

Que por si só será, certamente uma façanha.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: